quinta-feira, 17 de janeiro de 2013


“Na cama em que os sonhos se fazem, o teu corpo misturado com o meu. Assim se ergue a vida, por detrás do cheiro do sexo molhado, por sobre a verdade dos lábios esfaimados. Agarrar-te na carne e sentir-me de alma, o por dentro de estar vivo a cada segundo de suor. Dou-te com a força de um animal, louco e insaciável animal - com o "toma", o "gostas?", o "pede". E ainda assim te dou com a ternura incomparável de um cúmplice - com o "preciso-te sem igual", o "gosto-te até aos ossos", o "amo-te sem amanhã". Na cama em que os sonhos se fazem, nem os corpos sabem a quem pertencem. Somos dois, com o prazer de todos os mundos. Somos um. E um é tudo."



[Pedro Chagas Freitas]

Sem comentários:

Enviar um comentário